Quantas vezes você já ignorou postagens porque tinham poucas curtidas? Ou passou a seguir alguém pelos milhares de likes que suas fotos acumulavam? Provavelmente diversas. Mas esta métrica de número de curtidas como critério de relevância para postagem chegou ao fim. Ao menos por enquanto. Desde esta semana, o Instagram passou a ocultar o número de curtidas das postagens de todos os perfis da rede social no Brasil. Por aqui, ainda em fase de teste, mas seguindo uma tendência que vem sendo testada em outros países, e já virou regra no Canadá, por exemplo. Agora, somente o administrador do perfil poderá ver a quantidade de curtidas de cada post.
Em nota, o Instagram explicou que a decisão visa combater o clima de competição dentro da rede e focar no conteúdo. “Queremos que seus seguidores se concentrem no que você compartilha, não em quantos likes seus posts recebem”, defendeu a empresa. Para quem usa a rede social apenas como entretenimento, aparecer ou não a quantidade de likes em conteúdos postados pode não fazer muita diferença. Mas pra quem vive da vitrine das curtidas para se promover profissionalmente, este deve ser um divisor de águas. A retirada dos likes do Instagram vai mudar a vida dos influenciadores digitais?

De fato a nova apresentação de conteúdo no Instagram vai impactar e muito o trabalho dos digitais influencers. “A principal mudança se relaciona ao conteúdo. Os influenciadores, agora, precisam focar muito mais na qualidade do que eles têm a oferecer”, analisa. A forma de vender seu poder de influência também muda.  “O argumento de venda não vai mais poder ser ‘a minha foto tem um milhão de likes’. Agora vai ter que demonstrar o nível e qualidade de engajamento que geram”, mas consideramos positiva a novidade do Instagram.

Influencers ‘mais naturais’

Com mais de 2,5 milhões de seguidores no Instagram e 11 milhões de inscritos no seu canal no Youtube, o mineiro Enaldinho figura  no universo das celebridades digitais há anos. Cada publicação do jovem, que ganhou fama fazendo pegadinhas e produzindo conteúdo com foco no público infantil, acumula milhares de curtidas e comentários. Não por acaso, ele é garoto-propaganda da Disney.  Na avaliação dele, a mudança no Instagram vem em boa hora. “Muita gente vivia em função de ter likes em fotos, e não de curtir e registrar momentos. Acredito que agora, a coisa fique mais espontânea e saudável”, comenta.
O influencer acredita que a novidade não traz impactos para o modelo de negócio dele. “Acho que nada muda com as marcas que eu já trabalho, pois sempre precisamos enviar os relatórios de como foi a campanha. E a esses dados ainda temos total acesso”, diz Enaldinho.  Ele ainda exalta que “agora os influenciadores, assim como todos os usuários vão ficar mais naturais, sem o obrigação de ter um engajamento gigantesco”, conclui.

Kim Kardashian e eu

Para além dos interesses econômicos, os efeitos da disputa por curtidas e popularidade nas redes sociais têm afetado em cheio a saúde mental das pessoas. “Vivemos numa era que a influência digital mata. Transtorna a vida de muita gente. Os adolescentes estão mais depressivos e deprimidos”, alerta a psicóloga Daniela Bittar.  Para ela, a busca por aprovação externa desperta sentimentos e instintos muito ruins para a saúde psicológica das pessoas. “A vaidade é muito perigosa, causa disputas e tira o foco da coisa mais importante do mundo que é você mesmo”, destaca. “Eu estou achando a mudança ótima. A Kim Kardashian e eu somos gotas do mesmo oceano agora”, diverte-se.